terça-feira, 3 de maio de 2011

MOMENTVM





(*) “ […] foi quando no final de sua vida, no ano do Senhor de 1193, o Mestre D. Gualdim mandou criar a Comenda de Santo Isidoro, em cujas casas alguns de nossos irmãos saidos de Thomar se estabeleceram, e pouco depois desbravaram terra junto à costa oceanica, desde Santa Susana a norte, até aos limites da póvoa da Eyricea no sul, nos quais limites os nossos religiosos criaram a abadia de Santa Maria d’Ilhas e plantaram pinhal e vinhas.
[...] meu avô foi um desses fundadores.
Esta Comenda já existe há 117 anos mas não consta dos registos da Ordem, e por isso aqui deixo o meu testemunho para os presentes e os futuros, de que esta Comenda existiu e da qual meu avô fez parte da sua fundação como Cavaleiro do Templo.
Agora no fim de meus dias, [mais] deixo junto para os meus descendentes alguns de meus simples pertences , com a súplica de que estas palavras que escrevo nunca deles se apartem, para que tenha lembrança perpétua a grandeza da nossa Ordem, que ora destroem e se acaba.
Eu, Martim Coello esta carta fiz no ano da Encarnação do Nosso Senhor de 1309.”
__________________________
* - Transcripção do manuscripto.
(Segundo o Livro de Assentos "VITULUM BINARIUM" ainda na época esta Comenda ficou registada como Comenda de S. Lourenço de Ilhas, no termo norte da Vila da Ericeira.)


" [...] não pára a vaga de roubos e vandalismo de que sofre o nosso Convento de Thomar por parte da urbe ensandecida. De temerosos a Deus e à Ordem de Christo, de um dia para o outro, passaram a temerários profanadores. [...] do pouco que salvei, conto esta caixa que contem as reliquias de meu antepassado, D. Martim Coelho e o livro da nossa linhagem e vidas dedicadas ao Templo. Bens que me vejo forçado a esconder na nossa casa da rua da Periguilha (*) [...]
     Aos 14 de Maio de 1835.
       Fr. Lourenço Coelho
Cavaleiro da Ordem de Christo. "
______________________
* - ou Rua de Peralves Seco, depois chamada Rua da Capela.


" Cidade de Tomar, 25 de Agosto de 1989
     Caríssimos Amigos

[...] esta casa que herdei de meu saudoso pai, falecido em 1962, e sita na Rua da Capela, tem uma história que vos quero deixar. [...] este velho edifício de dois pisos, há muito na posse da nossa família, respira memórias e transmite vida. Por isso, ainda consegue surpreender até, os que o querem ver por terra.
[...] quando herdei a casa decidi avaliar as condições em que esta se encontrava. Nessa altura e talvez prevendo uma decisão precipitada, um tio meu veio ter comigo, entregou-me um pequeno caderno de capa preta que tinha pertencido ao meu avô e disse-me : " Se estás a pensar deitá-la abaixo, lembra-te que ela ainda tem uma história para contar. Lê este caderno com atenção e depois decide o que deves fazer."
Li o seu conteúdo e segui com cuidado as instruções nele contidas. Descobri por debaixo do soalho da sala, o acesso à cave que tinha sido usada como adega, arrombei o reboco da parede do lado do castelo e do nicho ali dissimulado retirei o livro de linhagem da nossa família e a caixa que continha o pergaminho de 1309, o anel de Cavaleiro templário e a ampola de vidro selada que guardava a madeixa de cabelo do meu antepassado D. Martim Coelho.
700 anos de memória!
[...] deixo assim à vossa guarda, meus amigos, estas relíquias, rogando a vossa promessa de que um dia se dignem testemunhar o que aqui vos descrevo.
Do vosso amigo
Domingos Neves Coelho

O prometido foi cumprido.
_________________________________
Domingos Neves Coelho faleceu a 3 de Janeiro de 2002 sem deixar descendência.
Partiu em paz e convicto de que certas coisas não acontecem por acaso...

Regra:cap.XXXV


Regra dos pobres Cavalleiros do Templo na Cidade Santa de Jerusalem

Se podem ir sós.

Capítulo XXXV

Os que sahirem desta maneira, nem de dia, nem de noite vaõ sem companhia, isto he sem Cavalleiro, ou Religioso, depois que estiverem aquartelados, nenhum Soldado, ou escudeiro ande pelos quarteis dos mais, para ver, ou fallar com algum, se naõ he com licença, como está dito;  e assim de commum consentimento ordenamos, que nenhum Soldado desta Ordem milite a seu arbitrio, mas se sogeite inteiramente ao que o seu Mestre lhe ordenar, seguindo o conselho do Senhor, que diz: "Naõ vim a fazer o meu gosto, mas o de quem me mandou."

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Egas Soares


1155Em Agosto de 1155 se vendeo uma herdade na terra da Feira á Ordem do Templo, sendo Mestre D. Ugo.  Na Carta se diz assim no seu original:
“In Christi Nomine. Haec est Carta venditionis, et firmitudinis, quam ego Egeas Suariz facio vobis Magister Domino Ugo, et Fratres vestros de illo Templo, per Bona pacis, et voluntas, de Haereditate mea propria, quam habeo in Villa Laurosa, in loco noncupato Baocho, Subtus mons Sauto Rotundo, discurrente Rioulo Maior, Castello Santae Marix, Território Portugal,etc.” 
O preço foram 23 maravadis d’ouro.

domingo, 1 de maio de 2011

Por todo o teu amor...




... obrigado  Mãe