segunda-feira, 25 de junho de 2012

Elos quebrados



É comum dizer-se que uma vez dissolvida a Ordem do Templo por Clemente V, no século XIV, só o actual Papa a poderia reabilitar.
Isto não passa de uma falácia que convém desmitificar.

A Ordem do Templo não foi criada pela igreja. Foi sim aprovada por ela quase dez anos após ter sido criada oficialmente em 1118.
O acto de aprovação em 1128 por parte da igreja, não terá tido para os Templários um significado diferente do reconhecer de uma assinatura num cartório notarial nos nossos dias.

Poder-se-á argumentar que o Papa na altura tomou a Ordem sob a sua protecção e que esta só ao próprio pontífice prestava contas. Que a igreja era o poder absoluto e que sem a aprovação dela os Templários não existiriam como Ordem...

A verdade é que na época a igreja não o fez de ânimo leve.
Fê-lo porque a tal se viu obrigada.
Por motivos que ainda são um segredo Templário.

A Ordem, presentemente e ao contrário do que se diz, não precisaria da bênção da igreja para ressurgir. Se decidisse fazê-lo.
A igreja desistiu dos Templários quando os suspendeu. Lembram-se?
E nem por isso os Templários se esfumaram no tempo...