segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Dragão-Miguel



"Ah, meu Irmão!

Ele há coisas que não se consegue explicar ao comum dos mortais, se totalmente reveladas.
Por isso, apenas se desvela o necessário. Quando necessário.
E nisso, guardas em mim os velados segredos que a Ordem confia.
Segredos mais valiosos que a vida; que perdê-los será perder a Alma.
Por isso os escondemos na própria sombra...

Sim, é isso que tu és, pequeno Dragão.
Tu és na realidade a minha sombra.
A minha projecção humana, plena de virtude e... defeitos.
Vivo apontando minha lança à tua boca, lembrando-te em continuum a letal necessidade do sigillum.
Ciente que, se tiver que a trespassar, o segredo morrerá... connosco.

O silêncio, Irmão, diz muito mais que todas as palavras mundanas."