domingo, 14 de maio de 2017

Pontes caídas




Pobre pomba branca
que te mantêm no escuro
envolta em manto tão negro

deixando-te em grilhões presa
por detrás de grades púrpura
que encerram teu degredo


Presa mas não esquecida
que eu o corvo mais velho
fiel sombra e leal amigo

usando o tempo farei questão
de partir as grades que te retêm
para te libertar e levar comigo


Levar-te para longe da mentira
dos que dizem hoje com falsidade
serem os que vestem tuas alvas penas

tentando na vã futilidade da vida
tornar grandes as minguadas almas
soprando tal vida em vidas tão pequenas


Tu, a ponte de entre todas a eleita
podias em teus feitos ter escrito hoje
que do negro manto a alva pomba soltaste

mas deixaste somente palavras ao vento
que no seu esquecimento já o vento leva
deixando apenas na memória a justiça que negaste

Fr. Salvador
1965, Dezembro



"...a Igreja Católica deverá ser 'missionária, acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor' "

Esqueceste o 'justa' e 'libertadora'.

Que Santa Maria te perdoe, proteja e continue a guiar, Irmão Jorge.

Irmão Principalis
+++ Maio, 2017