terça-feira, 6 de junho de 2017

Outra vez?


Claustro da Hospedaria do Convento de Cristo

Acaba de ser tornado público mais um grave atentado ao património Templário em Tomar.
Foi grave, muito grave o que se passou.
Esperamos que os responsáveis por mais este acto de selvajaria "cultural" sejam identificados e punidos exemplarmente.



42 bilhas de gás estiveram aqui armazenadas e foram utilizadas na alimentação da fogueira. Teria bastado o rebentamento de uma delas para que grande parte do convento e a Charola Templária tivessem sido reduzidos as escombros.









A profanação e vandalização de um lugar sagrado com um ritual satânico (não temos outra forma de o definir) de imolação pelo fogo da imagem Templária de Santa Maria (assuma Ela a forma que assumir) numa enorme fogueira alimentada por mais de quarenta botijas de gás propano industrial no centro do claustro, árvores cortadas floreiras arrancadas, pedras partidas, piso danificado, ...configuram um acto criminoso que não esqueceremos.






Não voltaremos a dizer que o convento de Cristo é património mundial classificado pela Unesco porque nem a Unesco nem o mundo quer saber dos atentados ao nosso património. Diríamos mais: nem os portugueses querem já saber da memória que lhes deixámos, tendo em conta o silêncio cúmplice da maioria dos que se dizem Templários. Sabe-se que muitos participaram como figurantes desta farsa. E tudo por ânsia de protagonismo e por dinheiro. O vil dinheiro que a todos corrompe.

Cada vez nos sentimos mais isolados. Mais esquecidos.
Os traidores demonstraram mais uma vez saber ser os amigos dos inimigos do nosso legado. Sendo assim, nossos inimigos são.
Que não mais evoquem o nome do Templo os que em nome dele tiram proveito enquanto nada fazem para o proteger, tudo fazendo para o destruir.

Será, Mestre, que teremos de voltar a executar a maldição das tuas últimas palavras? Outra vez?